Técnica Musical x Vida Devocional – por Sandro Domingues

Graça e paz, gente!

Não vou escrever muito, porque vocês serão super abençoados e aprenderão muito com o meu amigo, meu brother Sandro Domingues.

Nos conhecemos já há 9 anos, e sou muito abençoado pela vida dele, já aprendi e ainda aprendo muito com ele. A aliança aqui é forte!

Ele é casado com a Thais e pai da Sofia. É publicitário, é tecladista e produtor da Pra. Ludmila Ferber, trabalhando com ela há mais de 10 anos.

Bem, agora, leiam com bastante atenção a resposta que o Sandro Domingues me deu sobre “Técnica Musical x Vida Devocional”.

++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++

Franklin Carlos: Estou fazendo uma pesquisa entre os músicos e líderes de louvor, e gostaria de saber a sua opinião sobre a técnica musical, e a unção de Deus sobre a vida dos músicos. Porque, em muitas igrejas aqui no Brasil muitos músicos se preocupam mais com a técnica musical e ignoram o tempo de estudo da Bíblia e oração, outros se dedicam a estudar a Bíblia, a oração, e não investem tempo estudando seu instrumento. O que você acha sobre isso?

 

 O que eu posso falar sobre esse assunto é baseado em alguns anos em que viajamos para vários lugares do país e do mundo, e a riqueza que adquirimos no conhecimento de novos amigos que fomos fazendo durante esta caminhada.

Me considero um músico muito limitado em técnicas, pois atualmente também trabalho em outra profissão e não tenho tanto tempo de estudar mais a música, mas sei que deveria, mas realmente o tempo é escasso.

Sendo o mais sincero e objetivo, acredito no seguinte:

Para nós músicos, é muito bom tocarmos e ministrarmos com gente ao nosso lado, com vasto conhecimento musical e que executam perfeitamente os arranjos em seus instrumentos. É realmente muito gostoso, pois a música na nossa vida é algo que nos deixa muito feliz. A técnica é importante sim.

Porém, isso não pode ser o primordial para músicos que ministram a Deus.

Se é Deus quem proporciona dons e talentos, é Nele que temos que buscar.

Nós temos que aperfeiçoar os talentos sim.

Uma vida de busca de Deus na oração, na palavra, no viver intensamente em comunhão com Ele é algo que vai muito além de tudo.

Tenho tentado viver assim, buscando em Deus o que Ele quer para nós, buscando Nele e orando por algo que eu considero extremamente vital para o nosso crescimento, Sabedoria.

Falo isso, pois acredito que a música vai muito além de tocar algum som.

Música é amor e paz. (Só faz quem ama e tem paz no que faz)

Música é Longanimidade e Benignidade (Paciência e bondade tem que ser virtudes nos músicos)

Música é relacionamento. (Um músico para estar num grupo e ser bem vindo em algum lugar, tem que saber se relacionar com os outros)

Música é respeito. (Um músico para tocar com outras pessoas precisa respeitar limites, respeitar o próximo e o tempo de cada componente)

Música é verdade e Fidelidade. (Sem verdade e fidelidade, não tem essência)

Música é mansidão e domínio próprio. (Fica inviável estar ao lado de músicos extremamente arrogantes e esquentados)

Você acha que a técnica e saber tocar bem, ensina isso tudo? É claro que não.

Isso é o que a Bíblia diz que são os frutos do espírito.

E para adquirirmos os frutos do Espírito, a caminhada com Deus é longa.

A cada local que nós vamos fazer um evento, vejo o quanto dependemos de Deus, e se fosse depender da nossa técnica, estaríamos fritos.

Nessas nossas andanças, temos conhecido muita gente preciosa, e também podemos ver líderes, cantores e músicos talentosíssimos, mas que o talento e a marra são tão grandes, que os indivíduos não conseguem sequer se relacionar com novas pessoas, sequer respeitam o próximo, e às vezes são até simpáticos para manter a imagem, mas a vaidade é muito acima de tudo.

E infelizmente, pessoas assim, que não vivem o que aparentam ser, sobem nos púlpitos de diversas igrejas no país inteiro.

Por favor, não quero fazer deste comentário, um julgamento, ou simplesmente estar falando mal da nossa profissão ou ministério, mas acredito que sirva de alerta para todos nós não cairmos nas armadilhas que a vaidade nos propõe.

Na nossa jornada de trabalho, temos tido diversas experiências maravilhosas, e sou muito grato a Deus por me proporcionar tempos de aprendizado e principalmente relacionamento verdadeiro com amigos mais chegados que irmãos, que são as pessoas com quem eu trabalho. Posso falar de amigos como: Ludmila Ferber, Nelson Turin (baixista), Bebeto Olicar (baterista), Fabinho Batista (guitarrista).

Pessoas que nos tempos bons e nos tempos difíceis, estão juntas para o que der e vier.

Temos sido incentivadores mútuos, nas nossas vidas.

Tenho certeza absoluta que não somos músicos recheados de técnica, mas temos um relacionamento de verdade, respeito e acima de tudo, muita verdade.

Deus nos une. A música é o instrumento!

Que Deus abençoe!

=================================================================

Conheça um pouco do trabalho de Sandro Domigues:

 

O Poder da Aliança

 

Quão Amáveis

 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s